PT 30 ANOS: PORQUE ME FILIAR???

 30 ANOS DO PT: PORQUE ME FILIAR ?????

O Tempo: este inexorável verdugo que nos dilui e nos dilema!  ( Alexandre Guedes).  

FAZER 30 ANOS…

Antes dos 30 as coisas são diferentes. (…) Fazer 30 anos é chegar  no primeiro grande patamar  de onde se pode mais agudamente descortinar. (…)Fazer 30 anos é mais que um rito de passagem, é um rito de iniciação, um ato realmente inaugural.(… ) Fazer 30 anos é coisa fina, é começar a provar do néctar dos deuses e descobrir que sabor tem a eternidade. O paladar, o tato, o olfato, a visão e todos os sentidos  estão começando  a tirar prazeres indizíveis das coisas. Fazer 30 anos, bem que poderia dizer Clarice Lispector, é cair em área sagrada.

Até os 30 (…) agente vai emitido promissórias. A partir daí  é hora de começar a pagar.  Fazer 30 anos, não creio que seja coisa fácil. Não é simplesmente, como num jogo de amarelinha, pular dos 29 para a dos 30 saltitantemente. Fazer 30 anos é cair numa epifania . Fazer 30 anos  é como ir à Europa  pela primeira vez.  Fazer 30 anos  é como o mineiro vê a primeira vez  o mar. (…) Fazer 30 anos não é para qualquer um. Fazer 30 anos é de repente, descobrir-se  no tempo . Antes,  vive-se no espaço. Viver  no espaço é mais fácil e deslizante. É mais corporal e objetivo. (…) Mas fazer  30 anos é como sair do espaço e penetrar no tempo. E penetrar no tempo. E penetrar no tempo é mister de grande responsabilidade. É descobrir  outra dimensão além dos dedos da mãos. É como  se algo mais denso se tivesse criado sob a couraça  da casca. Algo, no entanto, mais tênue que uma membrana. Algo como um centro . Às vezes  movel, é verdade, mas um centro de dor colorido. Algo mais que uma nebulosa, algo assim pulsante que se entreabrisse em sementes.  Aos 30 já se aprendeu os limites da ilha. Já se sabe de onde sopram os tufões e, como o náufrago que se salva, é hora de se autocartografar.

Já se sabe que um tempo em nós destila, que no tempo nos deslocamos, que no tempo  a gente se dillui e se dilema.

Fazer 30 anos  é como uma pedra que já não precisa exibir preciosidade. Porque não cabe em preços. É como a ave que canta, não para se denunciar, senão para amanhecer.

Fazer 30 anos é passar da reta à curva.

Fazer 30 anos é passar da quantidade à qualidade.

Fazer 30 anos  é passar do espaço ao tempo.

É  quando se operam maravilhas como a um cego em Jericó.

Fazer  30 anos é mais do que chegar ao primeiro grande  patamar. É mais  que poder olhar para trás.

Chegar aos 30 é hora de se abismar .

Por isso, é necessário  ter asas, e sobre o abismo voar.  ( Fragmentos da Crônica “Fazer 30 anos” de   Affonso Romano de Sant’anna).

Ninguém se perde na volta!   (Jose Américo de Almeida );

Até agora participei como um outsider  e espectador privilegiado e atento – as vezes com  coadjuvante, às vezes como protagonista    na cobrança de decisões políticas na gestão da res-pública. Nesta longa caminhada   de 30 anos ,   fui advogado,  educador,  colaborador, assessor,  militante  e líder de  vários movimentos e  ONG’s , e da Sociedade Civil em nosso município, estado e pais,   militando diuturnamente  na    construção  de movimentos  órgãos  e instituições na nossa florescente  Democracia Participativa, sob o comando de  instrumentos  constitucionais  oriundos da CF 1988.

Hoje neste singelo ato,  em que me  re-filio ao PT. Digo  aos mais novos, que  já estivemos  juntos em sua gênese nos idos dos anos 80. Por isso não me perdi na volta. Não volto como filho pródigo, como aquele que  perdeu tempo  em doar suas melhores  energias  juvenil em  inglórias lutas. Mas sim como um viajante privilegiado  e semeador de muitas  lutas e experiências  exitosas onde sempre lutei pelo bom, justo, ético, a democracia e o socialismo. Seja em  participação, liderança, assessoria e consultoria a Movimentos:  ( MNDH/Solo Urbano/NEGRO/ LGBT/Cultural/ Cineclubes/ Pastorais; Rádios Comunitarias);  instancias  e organizações não governamentais da nossa sociedade brasileira ( FDDH -MMA/CDDH_JPT)  da Sociedade civil e Classista – (OAB)  Conselhos  ( Saúde/ Direitos Humanos – CDH/UFPB, CEDDHC; CMSDH  / Segurança;  Combate à violência ( AFFAVVI e Forum Paraibano de Combate à Violência ); Defesa da Economia Nacional ( MODECON);  de Intercâmbio e amizade entre os Povos ( Ass. Cultural José Marti  e União Cultural Brasil-URSS); pela Reforma do Judiciario (FORUM DE CONTROLE EXTERNO DO JUDICIARIO – FOCOEJ);    Educativas  (  Instituto Alberto Pasqualine /CPEDH e Rede  Latinoamericana de Educação em Direitos Humanos / Juristas Populares  ); Conferencias ( LGBT, Comunicaçao, Cultura, Cidades, Saúde,  Segurança, Direitos Humanos,etc.) ;  E em   Organizações de caráter  internacional como a Anistia Internacional e a Rede Internacional de Direitos Humanos .

Nesta longa caminhada sempre tive a honorável e militante companhia e parceria de muitos de vocês aqui presentes – são tantos e tantas,  que nominar alguém iria gerar ciúmes em algum inominado,  pelo meu parcialismo e afetividade a alguns mais que a outros.

Cheguei à conclusão de que  Lênin tem razão pois  é melhor errar juntos no Partido  do que acertar sozinho…

Recebi durante minha trajetória muitos convites para me filiar a outros  Partidos Político e sempre relutei, uns  por serem legendas de aluguel  e reduto de politiqueiros, personalistas, oportunistas e individualistas que  na direção, ou em seus cargos de representação,  tratam o partido como um senhor feudal, embora com programas ótimos , sempre tem velhas praticas – entendendo aqui  o que nos ensina Lênin ao dizer que “pratica é  critério de verdade, e ao que nos traduz J. Martí: “a melhor maneira de você dizer as coisas é fazê-las”.i      

Mas apesar dós meus olhos já exigirem o uso de óculos por ser um homem já de meia idade, vejo  com a ajuda das lentes da razão e sensibilidade política,  que  agora estamos no limiar de grandes definições políticas, econômicas, social e cultural em nosso pais e continente. Onde os conflitos e interesses interimperialistas  nos joga para uma  urgente  tomada de posição,  tanto  em defesa  internacionalista de nossa   soberana latino-americana;  quanto na  altiva e coerente  historia  de luta dos grandes lideres  e estadistas  desse pais, na defesa de nossa soberania, do nosso povo, de nossas riquezas,  e de nossas conquistas no campo legal, político e sócio econômico,  que servirão de farol e timoneiro para  fortalecendo a nossa democracia,   sermos um espelho no nosso continente latino-americano e para  os povos oprimidos  da Mãe África.    

É hora de preservamos o que construirmos e avançarmos na plena aplicação/execução  das políticas Publicas de Estado previstas no   Plano Nacional de Direitos Humanos – PNDH3,  cujos  ataques já se iniciaram  pelos inimigos do nosso povo,  a partir da divulgação de sua atualização, apontando para a elaboração  no parlamento de leis que lhe darão exeqüibilidade  na luta contra a homofobia,  a criminalização dos movimentos sociais,  o racismo,  a descriminalização das drogas – (tirando-as da esfera da policia e colocando-as para a saúde publica); descriminalização do aborto; solução pacifica dos conflitos;  legalização de terras indígenas e quilombolas; política de cotas  sociais, e avanço da Reforma Agrária, bem como  mudanças  no modelo econômico  em nosso pais que garanta justiça (social) para os excluídos, marginalizados e empobrecidos .

Me filiar a  um  grande Partido como este,  vai me fazer abnegar de um pouco de minhas atividades no âmbito privado e trazer sacrifícios pessoais, em prol do interesse coletivo;  como  ter que faltar a festas de aniversários de entes amados e queridos, pelo fato da agenda pessoal se chocar com a agenda de militante que tem que cumprir as tarefas partidárias – Não é companheiros ?      

Sei que são inúmeras as tarefas,  serei apenas  um soldado  em um Partido que  como nenhum outro, transpira democracia e  que nunca confundiu Centralismo Democrático com Autoritarismo Antidemocrático;     que em suas contradições  não antagônicas,   nunca fugiu de sua  prática democrática, e que   se construiu sob a égide de quem “não tem medo de ser feliz”;

Estou aqui para contribuir com  e  entre vocês,  lutadoras e lutadores das grandes causas do nosso povo, sob os auspicioso convite do amigo e companheiro  Lucio Andre; prometo que   arregaçarei  as mangas de meus ainda vigorosos   braços quase cinqüentenários, para ajudar militantemente a polir e dar mais brilho  ao Partido da estrela,  que tem o vermelho da paixão humanista pelo   bom, justo, ético e a justiça social.

E a tudo e por tudo  isso que pré falei,  não poderia dizer outra palavra nesse  honroso chamado para me filiar ao PT Companheiros:

 Presente!!!!!

1 comentário

Arquivado em Não categorizado

Uma resposta para “PT 30 ANOS: PORQUE ME FILIAR???

  1. Lucio André

    Como devo chamar a um dos mais nobres defensores dos Direitos Humanos do nosso chão, que não se deteve, mas foi no além mar desbravar um sonho sonhado e trouxe para nós os resultados conquistados. Não se deteve, não se deixa deter, nem se deterá na incansável luta pelos DHs, mas agora também e novamente como militante da causa dos trabalhadores e do povo ainda excluído, oprimido e empobrecido a quem devemos e estamos restaurando a sua autonomia, a sua dignidade … O chamarei companheiro, aquele com quem dividiremos o pão, o pão das lutas suadas e que será repartido para tod@s, até quem ninguém mais tenha fome, fome da justiça, fome da paz, fome do pão, fome da celebração. Meu Caro e Nobre Companheiro Alexandre Guedes, bem vindo ao Partido dos Trabalhadores…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s