REFLEXOES NO DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE

Dia Mundial do Meio Ambiente

Preservar é garantir um mundo melhor para você e sua família!

Há dois anos me encontro Diretor da Escola Municipal de Defesas do Consumidor “Haroldo Flavio Pimenta”- EMDC-JP ligada o PROCON-JP. Atualmente estamos envidando esforços para concluir nosso projeto de Educação para um Consumo Consciente e Sustentável.

Temos feito palestras em comunidades, tendo como publico alvo:  Grupo de Idosos, Jovens  do Programa Pro-Jovem, Delegados do Orçamento Democrático  e Comunitários.

Temos realizado uma linha de ação onde  desenvolvemos as atividades nos seguintes eixos:

– Educaçao para um consumo consciente e sustentável

– Fornecedor consciente, consumidor contente.

– Procon-Mirim

-Procon vai aos Bairros

Procon- Arte & Alegria.

“ECOEFICIÊNCIA – CONSUMO CONSCIENTE: 1) Reduzir – 2) Reaproveitar – 3) Reciclar”

Algumas atitudes humanas  relacionadas ao consumo, desperdício, poluição e formas sustentáveis de geração energia estão em voga, e nosso desenvolvimento e permanência aqui pela Terra depende delas e de novas ideias.

Para promover atos em prol da natureza, a ONU criou, em 1972, o Dia Mundial do Meio Ambiente, que acontece todo 05 de junho. A data recorda o dia de abertura da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Humano (Estocolmo, 1972), que culminou com a criação do Pnuma (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente).

MUDANÇA DE HABITOS COM NOVOS ATOS E ATITUDES…

Esta  ocasião é excelente para repensarmos atitudes diárias e passar aos filhos, amigos e parentes, consciência ecológica. Atitudes simples, como fechar a torneira quando escovar os dentes ou chuveiro durante o banho ajudam a economizar muitos litros d’água, de 180, você passa a gastar 48 litros de água por ducha, por exemplo. A ONG Redes das Águas tem mais informações sobre como não disperdiçar o líquido mais precioso do planeta.

Cada gesto pode ser  precioso  para ajudarmos na construção de uma sociedade ecologicamente mais organizada.

Vamos retornar aos costumes sustentáveis de nossos avós e pais..- Vai fazer compras? Não esqueça as ecobags, que agora também  trazem assinaturas de estilistas famosos e viraram artigos fashion. Em Belo Horizonte, já existe lei que proíbe o uso de sacolas plásticas pelo comércio e quem desobedece leva multa em dinheiro. No Rio de Janeiro, os estabelecimentros devem oferecer sacolas reutilizáveis e os consumidores que optarem por não levar os sacos plásticos para casa recebem um ressarcimento.

O que reciclar


Decomposição dos materiais A gente sabe que todo mundo está cheio de boas intenções quando o assunto é “fazer a sua parte” pelo planeta. Mas para que essa predisposição se transforme em ação efetiva, é necessário mais do que vontade: é preciso informação. E atitude. Um bom começo é arregaçar as mangas e começar em casa mesmo, separando o lixo orgânico do reciclável:

Vidro: embalagens, copos, garrafas, vidro de janela e cacos – desde que estes sejam colocados em caixa de papelão ou embrulhado em jornal para não machucar a pessoa responsável pela coleta seletiva.

Papel: revistas, jornais, caixas de papel e papelão, envelopes, folhas de caderno, folhas de sulfite usadas, cartazes velhos e formulários de computador.

Latas: de alumínio, como as de refrigerante e cerveja; de folha de flandres, como as de óleo, leite em pó e salsicha.

Aço: armações de óculos e talheres.

Alumínio: embalagens de marmitex limpas, papel alumínio limpo (sem resíduos orgânicos).

Plástico: copos, potes, pratos e embalagens vazias (como as de shampoo e detergente), tampas plásticas, sacos (como os de arroz ou leite), embalagens PET de refrigerante, plásticos mistos (como CD e DVD), sacolinhas plásticas e plástico filme (desde que estejam limpos).

Pilhas: podem ser jogadas no lixo comum, mas são nocivas ao meio ambiente, pois contêm pequenas quantidades de metais pesados. Ao longo de muitos anos, esses metais pesados vão se acumulando na natureza, podendo se transformar em um grande problema ambiental. O ideal é enviá-las para reciclagem, mesmo que isso não seja obrigatório. Uma boa idéia pode ser usar pilhas recarregáveis, que duram mais e não precisam ser jogadas fora.

Lâmpadas fluorescentes: assim como no caso das pilhas, também podem ser jogadas no lixo comum. Só que contêm mercúrio na forma de vapor, um resíduo perigoso que, no momento em que a lâmpada se quebra, pode ser liberado para o ar, prejudicando o ambiente e a nossa saúde. O ideal é enviar para as reciclagem. Mas fique atenta: só as lâmpadas fluorescentes são recicláveis. As outras devem ser mandadas para o lixo comum.

Eletroeletrônicos: algumas partes podem ser reaproveitadas, mas os aparelhos precisam ser encaminhados para locais específicos que façam a reciclagem. Isso porque a maioria dos eletroeletrônicos tem metais pesados em sua composição – como chumbo e mercúrio – que, quando são manuseados ou dispostos de maneira inadequada, oferecem risco à nossa saúde e ao meio ambiente.

O ideal é fazer uma pesquisa pela internet para saber que entidades podem aproveitá-los. Vale visitar os sites da Associação Brasileira de Excedentes , do Museu do Computador e do Comitê de Democratização da Informática. Como alguns fabricantes estão aceitando alguns de seus produtos de volta para encaminhá-los para a reciclagem, pode ser interessante dar uma ligada no Serviço de Atendimento ao Consumidor para saber se (e como) isso pode ser feito.

 Embalagens longa vida: podem e devem ser recicladas, mas existem empresas e entidades especializadas nesse trabalho. Uma boa idéia é consultar o site Rota da Reciclagem para saber onde encontrá-las na sua cidade.

– Materiais feitos em PVC rígido, como canos.

– Tubos de pasta de dente e outras embalagens de produtos de higiene e beleza, de preferência vazios ou limpos.

– Canetas esferográficas sem a carga, só a capa.

– Disquetes e fitas cassetes, que têm a parte exterior feita de plástico. A fita magnética que vai dentro e não é reciclável, deve ser descartada.

– Pedaços de materiais ou produtos de pequena dimensão – como de papel ou plástico ou de metal, como pregos e grampos. Como são pequenos, devem ser juntados em potes para enviar à reciclagem. O ideal é separar por tipo de material.

Decomposição dos materiais

Tem coisas que a gente joga no lixo e nem imagina quanto tempo demora para elas se decomporem. Você sabe? Então mate a sua curiosidade aqui:

Jornal: algumas semanas

Papel: 3 a 6 meses

Lixo orgânico: 6 a 12 meses

Pedaços de pano: 6 a 12 meses

Toco de cigarro: 20 meses

Chicletes: 5 anos

Latas de aço: 10 anos

Nylon: mais de 30 anos

Couro: 50 anos

Isopor: 80 anos

Plástico: mais de 100 anos

Pneus: 600 anos

Vidro: mais de 4 mil anos

Deixe um comentário

Arquivado em Não categorizado

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s